Coragem

Padrão

Sabe aqueles filmes de guerra, ou de luta, ou medievais, aqueles em que o pessoal faz questão de ser humilhado, torturado e morrer pelos seus? Pois é, taí uma coisa que nunca entendi.

Tem aquelas superproduções, estilo medieval, em que o mocinho tem que esconder o anel de todo mundo, pra só queimar no final do filme. Tudo certo quando o anel é seu, você pegou o papel principal e vai ganhar muito mais do que o resto do elenco, mas vocês já se imaginaram na pele do gordinho, amigo de Frodo? No papel de coadjuvante, o cara tem que passar fome e sede, rodar todo o universo fértil de Tolkien fugindo de um exercito de loucos obcecados por anéis, tudo em nome do amor ao seu amigo Frodo!

Acho corajoso quando a pessoa se sacrifica pelo amor ao próximo, é até bíblico, mas é claro que isso nunca passou pela minha cabeça! Pro primeiro Ogro que me ameaçasse eu entregava Frodo sem culpa nenhuma! E se ele falasse um pouquinho mais grosso comigo, entregava também Legolas, Gandalf, Aragorn, Harry Potter, Roni, Hermione, etc…

Não sacrificaria meu lindo corpo juvenil por seu ninguém, muito menos pela pátria! Sacrifício esse que a gente vê muito em filmes de guerra. E não precisa voltar pro Resgate do Soldado Ryan pra reparar. Aquelas guerras na rocinha, por exemplo, o exercito de Coronel Nascimento é treinado comendo resto de comida no chão, levando tapas na cara e ouvindo berros, pra enfrentar traficantes que queimam playboys por diversão.

Aí eu fico me perguntando, o que leva uma pessoa a ter coragem? Sim por que reconhecimento você só vai ter depois de morto. Também não deve ser por dinheiro, porque tá cheio de profissão pagando a mesma coisa sem ter que enfrentar arma na cabeça em ambiente de trabalho. Então só consigo supor que isso é de nascença mesmo. Pessoal nasce corajoso. Eu não nasci!

Assisto Voldemort mandando ver na maldição cruciatus e fico pensando “porque esse filho da puta não fala logo?”… ou inventa logo! A galera quer ser sincera até na hora de apanhar! A matemática é simples: o bem sempre perdoa e o mal sempre se vinga. Ou você fica do lado de Voldemort e se Harry ganhar ele te perdoa, ou você fica do lado de Harry e se Voldemort ganhar ele te manda uma Avada Kedavra.

Contudo, a gente sempre vai ter um terceiro lado pra escolher: o lado da nossa pele! E pra lutar por esse lado, vale ficar amigo do lado mal, mentir pro lado bom, virar espião dos dois e acabar com seu nome no filho de Harry Potter! Snape, sou sua fã!

Nada pessoal, mas eu escolho o terceiro lado, e se é pelo bem da minha pele, coragem não vai faltar.

Daniela Neves

Anúncios

»

  1. Como alguém consegue usar como referência Harry e senhor dos anéis para fazer uma analogia dessa? Partir do que se tem próximo, saber manipulá-lo e colocá-lo como ferramenta para esboçar desde de idéias mais simples às mais complexas é, realmente, um talento. Ótima leitura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s